Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Islã: um memorando de São João Bosco

Hoje, reproduzo uma página do Tratado Popular sobre a Verdadeira Religião sob o título de “O Católico educado em sua religião: Colóquios de um pai de família com seus filhos segundo as necessidades do tempo, com epílogo do Sacerdote João Bosco” (1853) para fazer um esclarecimento bastante necessário nestes tempos em que vivemos. O texto completo, em italiano, tirado das obras completas do grande santo, pode ser descarregado em PDF clicando aqui: “O católico instruido em sua religião” (“Il cattolico istruito nella sua religione”)

Trata-se do Diálogo XIII, que se dá entre um pai de família preocupado com a salvação das almas dos filhos e o filho mais velhos, que fala em nome de todos os outros irmãos: 


São João Bosco. Diálogo XIII. O Maometanismo.


Pai – Sem dúvida, não há ciência mais importante para um católico do que aquela que o instrui na sua religião. Ciência importante e, ao mesmo tempo, muitíssimo consoladora, porque tem uma base tão certa e tão clara, que todos os seus relatos nos fazem reconhecer o concurso da Onipotência divina.

Esta religião de Jesus Cristo, que se conserva somente na Igreja Católica Romana, segundo as palavras do mesmo Salvador, vai ser perseguida de alguma forma, mas jamais vencida.

Em todos os tempos, em meio às perseguições mais sangrentas, Ela soube conservar-se qual imóvel coluna, sempre gloriosa, sempre visível, sempre vitoriosa, sem nunca utilizar outra arma senão a da caridade e da paciência.

Esta sua invariabilidade, conservada desde os tempos de Jesus Cristo até nós, não pode ser atribuída senão à Onipotência divina. 

Estabelecidos assim os fundamentos da nossa Santa Religião Católica, quero entretê-los um pouco mais sobre alguns acontecimentos curiosos: refiro-me àquelas religiões que eram unidas à Igreja Católica e que depois de algum tempo se separaram.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

FESTA DE CORPUS CHRISTI

x

FESTA DE CORPUS CHRISTI


Festa móvel
15/06/2017
31/05/2018
20/06/2019
11/06/2020

Fatos históricos e curiosidades: 
A primeira solenidade de Corpus Christi foi realizada no Brasil em 1549, na cidade de Salvador/BA. A procissão foi realizada na rua que dá acesso à atual Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, que à época era uma primitiva ermida erigida com a ajuda pessoal do recém-chegado 1º Governador Thomé de Sousa, quando da fundação da cidade, em 1549. 
Thomé de Souza, fixando-se na Baía de Todos os Santos, realizou a fundação da cidade de Salvador, como a primeira Capital do Brasil. Nesse mesmo tempo, criou os cargos de capitão-mor, ouvidor-mor e provedor-mor. Todos estes, incumbidos de auxiliar nas ações administrativas, militares e judiciais da colônia. Logo em seguida, mostrando a perfeita união entre Estado e Igreja, criou o primeiro Bispado do Brasil, chefiado por Dom Pero Fernandes Sardinha. Já em sua chegada à colônia, Tomé de Sousa trouxe uma leva de Padres Jesuítas destinados à conversão religiosa dos nativos. Além disso, preocupou-se com a dinamização do processo colonizador ao realizar a fundação de Câmaras Municipais e incentivar a plantação de cana-de-açúcar pelo território. 

Ofício de Corpus Christi foi composto por São Tomás de Aquino, chamado Lauda Sion (Louva Sião), a pedido do papa Urbano IV para acompanhar a bula "Transiturus de hoc mundo": PDF.   





"Louva, Sião, o Salvador, louva o guia e o pastor com hinos e cantares.
Quanto possas, tanto o louva, porque está acima de todo o louvor e nunca o louvarás condignamente.
É-nos hoje proposto um tema especial de louvor: o pão vivo que dá a vida.
O pão que na mesa da sagrada ceia foi distribuído aos doze, como na verdade o cremos.
Ressoem, pois, os louvores, sonoros, cheios de amor. Seja formosa e jovial a alegria das almas.
Porque celebramos o dia solene que nos recorda a instituição deste banquete.
Na mesa do novo rei, a páscoa da Nova Lei põe fim à páscoa antiga.
O rito novo rejeita o velho, a realidade dissipa as sombras como o dia dissipa a noite.
O que o Senhor faz na ceia mandou-no-lo fazer em memória Sua.
E nós, instruídos pelo mandato divino, consagramos o pão e o vinho em hóstia de salvação.
É dogma de fé para os cristãos que o pão se converte na carne e o vinho no sangue do Salvador.
O que não compreendes nem vês, diz-to a fé viva; porque isto se opera fora das leis naturais.
Debaixo de espécies diferentes, que são apenas sinais exteriores, ocultam-se realidades sublimes.
O pão é a carne e o vinho é o sangue; todavia debaixo de cada uma das espécies Cristo está totalmente.
E quem o recebe não o parte nem divide, mas recebe-o todo inteiro.
Quer o recebam mil, que um só, todos recebem o mesmo, nem recebendo-o podem consumi-lo.
Recebem-no os bons e os maus igualmente, porém com efeitos diversos: os bons para vida e os maus para a morte.
Morte para os maus e vida para os bons! Oh! Consideremos como são diferentes os efeitos que produz o mesmo alimento.
Não vacile a tua fé quando a hóstia é dividida; porque o Senhor encontra-se sempre todo, debaixo do pequenino fragmento ou da hóstia inteira.
Nenhum corte pode violar a substância: apenas os sinais do pão, que vês com os olhos da carne, foram divididos sem a menor alteração da realidade divina que esses mesmos sinais significam.
Eis pois que o pão de que se alimentam os Anjos foi dado em viático aos homens: pão verdadeiramente dos filhos, que não deve dar-se aos cães.
Foi já prefigurado nos ritos e nos acontecimentos do Testamento Antigo, na imolação de Isaac, no cordeiro pascal e no maná do deserto.
Ó bom Pastor e alimento verdadeiro dos que apascentas, ó Jesus, tende piedade de nós. Alimentai-nos e defendei-nos e fazei que mereçamos fruir da vossa glória na Terra dos vivos.

Vós que tudo conheceis e tudo podeis fazer, e nos alimentais aqui, na Terra, da mortalidade, admiti-nos, Senhor, lá no Céu, à vossa mesa e dai-nos parte na herança e na companhia dos que moram na cidade santa. Amém. Aleluia". 


*  *  *

INDULGÊNCIA DO CORDÃO DE SÃO JOSÉ 

Dias nos quais se lucram indulgências plenárias trazendo consigo o cordão: Nas festas da Páscoa, da Ascensão, de Pentecostes e na festa de Corpus Christi (Cf. aqui).



Vide mais sobre a Festa de Corpus Chrusti: 

*

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Francisco: um abortista na Pontifícia Academia pela Vida

A Pontifícia Academia para a Vida, do Vaticano, empossou ontem 45 novos membros ordinários. O extraordinário - e escandaloso e impensável e terrível - é que, entre esses, há um que chama a atenção, Nigel Biggar, professor "regius" de teologia moral e pastoral em Oxford e... abortista.  

Biggar é ligado a Peter Singer (aqui e aqui), aquele que propaga a ideia de que é lícito MATAR crianças já nascidas, porque são menos que um chimpanzé e não têm CONSCIÊNCIA de ser.  

Em 2011, segundo a revista Standpoint, Biggar afirmou: "Eu estaria inclinado a desenhar uma linha para o aborto 18 semanas após a concepção, que é praticamente a primeira vez que há alguma evidência de atividade cerebral, e, portanto, de CONSCIÊNCIA. Em termos de manter um forte compromisso social para conservar a vida humana em formas limitadas, e em termos de não tornar demasiado casual, no que diz respeito à vida humana, precisamos traçar uma linha de uma forma muito conservadora".  

E, ainda: "Não está claro que um feto humano seja o mesmo tipo de coisa como um adulto ou um ser humano maduro, e que mereça o mesmo tratamento. Então, se torna um problema onde traçar a linha, e não há nenhuma razão absolutamente cogente de (traçá-la) em um lugar ao invés de outro". 

E esse é um "regius" professor de Oxford escolhido pela equipe de Francisco, e por ele aprovado, visto que foi nomeado, para ser um membro da Pontifícia Academia pela Vida. 

Eu não posso não me perguntar o que um abortista e "régio" professor de Oxford quer fazer em uma instituição católica e PELA VIDA. A resposta parece óbvia: influenciar a academia e propagar a cultura da morte. Anátema sejam. 


domingo, 4 de junho de 2017

O assunto é... PENTECOSTES

clique para ver mais imagens

O assunto, hoje, é... PENTECOSTES



Pentecostes é uma festa móvele é celebrada 50 dias após a Páscoa:

2017 - 04/06 .
2018 - 20/05. 
2019 - 09/06.
2020 - 31/05.



Começamos por falar da Festa de Pentecostes:  



Sobre a Novena de Pentecostes ou do Espírito Santo






Enfim, vamos às devoções


Novenas e exercícios dedicados ao Espírito Santo (ou de Pentecostes):  


Oração para o dia de Pentecostes: 

Orações ao Espírito Santo: 


OS DONS DO ESPÍRITO SANTO




     

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA